terça-feira, 19 de maio de 2009

Veias

Veia Facial
A veia facial drena para veia jugular interna. A veia facial se inicia no ângulo medial do olho pela união de veias da região frontal, as veias supratrocleares e a veia supra-orbital; esta se anastomosa com as veias oftálmicas superior e inferior que drenam as estruturas da orbita. A veia facial apresenta algumas tributarias importantes na região oral como as veias lábias inferior e superior que drenam respectivamente os lábios superior e inferior e a veia submentual que drena a região do mento bem como a região submandibular. Se inclui as veias dorsais da língua que drenam o dorso do órgão a veia profunda da língua que drena a face inferior da língua onde é perfeitamente visível e a veia sublingual que drena o soaleo da cavidade oral. Elas também podem drenar indiretamente para veia facial ou diretamente para veia jugular interna.
Veia retromandibular é formada pela união das veias temporal e superficial e maxilar a veia se divide, inferiormente a glândula parótica. Seu ramo anterior se uni a veia facial e o ramo posterior continua inferiormente sobre o músculo esternocleidomastóideo.

Veia temporal superficial drena a parte superficial do coro cabeludo, com a veia maxilar, a veia retromandibular.

Veia maxilar
Se inicia na fossa infratemporal drenando o sangue do plexo piterigóideo próximo a artéria maxilar. Através do plexo piterigóido, a veia maxilar recebe as veias meníngea media alveolar superior posterior, alveolar inferior e outras veias de áreas supridas pela artéria maxilar, como aquelas da cavidade nasal e do palato.

Plexo pterigóideo
O plexo pterigóideo é um emaranhado de vasos anastomosados localizado ao redor dos músculos pterigóideos e que circunda a artéria maxilar, na fossa infratemporal. P plexo pterigóideo se anastomosa com as veias facial e retromandubular e impede que a artéria maxilar seja comprimida durante a mastigação.
As veias meníngeas médias drenam o sangue das meninges do encéfalo para o plexo pterigóideo e o plexo pterigóideo drena as veias das partes profundas da face desemboca na veia maxilar.
Veia alveolar superior posterior
A veia alveolar superior posterior é formada pelos ramos dentais e peridentais e drena para o plexo pterigóideo. As veias dentais partem da forame do ápice das raízes e drenam a polpa dos dentes maxilares , enquanto os ramos peridentais drenam o processo alveolar,o perodonto e a gengiva

A veia alveolar inferior é formada pela união dos ramos dentais e peridentais que drenan respectivamente a polpa dos dentes mandibulares e o preocesso alveolar, o periodonto e a gengiva correspondentes.
As veias dentais, tributárias da veia alveolar inferior, na drenagem do tecido pulpar dos dentes mandibulares, passa através dos respectivos forames do ápice.

Seios venenosos da dura-máter
Os seios venosos da dura-máter estão situados no interior da dura-máter do encéfalo, uma membrana formada por tecido conjuntivo denso que reveste a face interna da cavidade do crânio.
Veia jugular interna
A veia jugular interna drena a maior parte das estruturas da cabeça e do pescoço. Como anteriormente mencionado, a veia jugular interna não apresenta válvulas e afluentes nas regiões da cabeça e do pescoço.
A veia jugular interna se origina na cavidade do crânio, sai pelo forame jugular e recebe diversas tributárias, incluindo as veias das regiões lingual, sublingual, faríngea, bem como a veia facial.
Veia jugular externa
Ela se continua inferiormente pelo pescoço e apresenta válvulas próximo à sua desembocadura na veia subclávia.
A veia jugular externa é visível quando cruza o músculo esternocleidomastóideo; para que se possa visualizá-la melhor, pode-se distendê-la realizando-se uma ligeira compressão digital na região supraclavicular impedindo o retorno venoso.
A veia jugular anterior drena para a veia jugular externa antes de se unir aveia subclávia (ou drena diretamente para a veia subclávia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário